Wê — São Tomé e Príncipe

Wê — "olhos" — é uma série de curta-metragens que leva-nos a viajar pelo mundo das obras de arte. O primeiro filme lança no iPhone e iPad no dia 14 de Fevereiro 2015.

Kris Haamer é o criador da marca HAAM GEN-Z que pretende transformar entretenimento significativo para a Geração Z, digitalmente nativos e globais na mentalidade.

***

***

“Foi algo de mágico. A professora de história de arte apagou a luz e sentámo-nos, confortavelmente, nas almofadas espalhadas pelo chão.. No brilho do feixe do projetor surgiu o retrato de um grego antigo, de nome, Ptolomeu. Os sussurros diminuíram. A professora iniciou a conversa de modo lento.
A imagem diante mim tremia… a minha imaginação começara a transportar-me para um universo paralelo da pintura. Ouvi um som que me fez despertar para outra realidade. Eu já estava a participar numa incrível aventura.. fui com o astrónomo grego descobrir as estrelas no céu profundo no brilhavam no quadro. A história da pintura permanece na minha memória para sempre.

Senti um sentimento semelhante por várias vezes em museus, onde gosto de passear desde criança. Ao ouvir a voz nos auscultadores apercebi-me que a atração não era apenas a arte em si, eu estava fascinado pelas histórias dentro das pinturas. Tal como a professora contadora-de-histórias na aula de arte me tinha ensinado, se conseguirmos dar vida às personagens na tela, conseguimos ter uma nova forma de experimentar pinturas, entender e aprender com elas.”

— Kris Haamer

Assim, nasceu o Wê.

Imagina se pudéssemos ter muitos filmes que seguem o conceito do Wê, inspirados em diversas pinturas e realizados por cineastas à volta do mundo, todos acessíveis através da uma plataforma no telemóvel e tablet. Os primeiros filmes Wê contam-nos as histórias de algumas pinturas na ilha de São Tomé.

Ilha de São Tomé

Ilha de São Tomé

Coração da Terra — no cruzamento do 0-meridiano e o equador, encontramos uma ilha vulcânica de 14 milhões de anos de idade, que nunca foi parte de algum continente.

A ilha tem o mesmo tamanho que a cidade de Lisboa. No seu centro, eleva-se o Pico de São Tomé, rodeado pela antiga floresta Ôbo, uma das florestas mais ricos em termos de biodiversidade endêmica no mundo. O biólogo Bob Drewes do Instituto de Ciências da Califórnia relata sobre a sua importância na palestra TEDxSãoTomé.

Os filmes na serie Wê são únicos tal como a ilha. O primeiro capítulo foca no valor da natureza intocada. Os capítulos seguintes procuram captar o drama da violência doméstica, a força de um amor que supera qualquer barreira, e a criatividade que pode superar qualquer obstáculo. São histórias que entram nas vidas dos ricos e os pobres, em cenários rurais e urbanas, contadas através das personagens que nasceram dentro as pinturas de Alex-Keller Fonseca e Catita Dias.

Eu E A Minha Amiga Fisga

Eu E A Minha Amiga Fisga

Pintura "A Fisga" por Alex-Keller Fonseca que inspirou a história "Eu E A Minha Amiga Fisga" de Gilberto Ceita.

1

1º Capítulo: — Gil Neves, um rapaz com 13 anos de idade, tem que tomar a decisão entre andar pelo mato com a sua única amiga, a fisga, ou ir obedientemente à escola, como a sua mãe espera dele. Um dia ao passear pela floresta, Gil conhece um ornitólogo prestes a entrar numa busca de uma espécie endémico de pássaro, o Picanço de São Tomé, nos cantos mais profundos da Ôbo. Gil decide acompanhá-lo e os dois tornam-se amigos rapidamente. A amizade com o cientista e a aventura de buscar o Picanço marcam o Gil bastante. Ao voltar do Ôbo ele começa a ver os pássaros com outra visão e ganha o objetivo de estudar biologia na escola para seguir nos passos do ornitólogo. A personagem de Gil é interpretado por Paulo Jorge Neves; Vivalda Prazeres é a mãe do menino e Octavio Veiga é o cientista. Escrito por Gilberto Ceita. Música de Guilherme de Carvalho (vê o seu performance no TEDxSãoTomé). [Aventura]

Amor Por Um Dia

Amor Por Um Dia

Pintura "Teenager Mãe II" por Alex-Keller Fonseca que inspirou a história "Amor Por Um Dia" de Edneyse Coelho.

2

2º Capítulo: — Mariana Lopez apaixona-se pelo rapaz errado e lida com as consequências dessa paixão. Ela tem 17 anos, é uma boa aluna, amada e respeitada pelos seus pais e amigos. Um dia, na aula de matemática, ela recebe uma carta de amor de um admirador secreto. Quem é este admirador, quais são os seus planos, será a pessoa que realmente diz ser, são estas as questões que iremos descobrir no decorrer do filme. Nos papeis secundários temos a amiga Sicilia, os meninos Miguel e Bento, e a mãe e o pai da Mariana. Baseado na pintura de Alex-Keller Fonseca. Escrito por Edneyse Coelho. [Drama]

Mariana com roupa da coleção Katya Silva 2014.

Elsa Figueira

Elsa Figueira

Pintura "Violencia Doméstica" por Catita Dias que inspirou a história "Elsa Figueira" de Percio Silva.

3

3º Capítulo: — Elsa Figueira é uma jovem mulher que procura encontrar a coragem de denunciar para policia o homem cruel, violento e controlador que ela ama. Baseado na pintura do Catita Dias. Protagonizado por Regina Fereira como Elsa, e Dom Pedro interpretado por Valery Andre Menezes. Escrito por Percio Silva. Música: PEKAGBOOM. [Drama]

"Eu sofro calada tudo eu faço para te agradar e por ti sou violentada." — Frase da música do filme

Xelele

Xelele

Pintura "Censura" por Alex-Keller Fonseca que inspirou a história "Azul" de Kris Haamer.

4

4º Capítulo: — Alex-Keller Fonseca e Catita Dias, pintores cujas obras são a inspiração para o Wê, e os seus amigos artistas Dio Lima, Olie Ribeiro, Jesus Quaresma, Leonel Varela, e tantos outros, andam pelas ruas de São Tomé a imaginar o futuro da ilha. Baseado na pintura de Alex Keller Fonseca. Escrito por Kris Haamer e Alex-Keller Fonseca. [Documentário]

“Minha vida são os pensamentos que circulam na minha mente. Através das minhas obras tento expressar a vida quotidiana da Mãe África e o seu renascimento, com todo o seu sofrimento e insegurança cujas tradições renascem no mundo através das crianças.” — Alex-Keller Fonseca

*****

Escrita Das Histórias

Se quiser ler ou comentar os roteiros, escreva-nos!

A primeira história escrita em 2010 baseia-se no auto-retrato “Censura” do pintor Alex-Keller Fonseca. A escrita das histórias subsequentes teve inicio no verão de 2013. Jovens escritores Gilberto Ceita "Eu E A Minha Amiga Fisga" e Edneyse Coelho "Amor Por Um Dia" ganharam o concurso de escrita do Wê e o músico Pekagboom escreveu a história de "Elsa Figueira". Na foto eu e o Gilberto Ceita após a entrega dos prémios.

> *

"Eu E A Minha Amiga Fisga": Quando Gil volta da floresta ele toma uma decisão — quer estudar biologia, para entender melhor os pássaros. A transformação do rapaz durante o filme pode ser uma inspiração para outras crianças. O papel de pesquisador de pássaros procura incentivar os adultos a apreciar a natureza e as aves, e a cuidar da riqueza e diversidade das espécies. O papel do pesquisador das aves é desempenhado por o passarinheiro Octavio Veiga, que trabalha com cientistas há mais de 20 anos e conhece bem as diversas espécies espécies de pássaros.

Octavio Veiga

Octavio Veiga a apanhar aves com uma rede para lhes tirar uma amostra do sangue.

Jovens escritores do grupo de escrita Wê Sofia Santos, Edneyse Coelho, Marlucy Bandeira, Gilberto Ceita, Wilme Dias, Akaisa Borges (a tirar a foto) e o pintor Dio Lima a visitar a cidade de Angloares para entrevistar o artista Nelito Pereira.

Na primavera de 2012 participei numa série de oficinas para escrita de roteiros cinematicos, na Universidade Lusófona, em Lisboa. Éramos oito pessoas na sala de aula, e o Gonçalo Galvão Teles foi fazendo a cada um de nós perguntas difíceis sobre as nossas histórias — para descobrir a natureza das personagens do filme, seus desejos e necessidades. A oficina decorria nas terça-feiras — e todos os domingos enviávamos a versão final do roteiro para os outros alunos lerem. Foi uma experiência que me influenciou bastante e deu-me a ideia de criar um grupo de escrita de histórias para o Wê.

O próximo passo depois da escrita do roteiro é criar um storyboard (banda desenhada) para visualizar cada capítulo, as personagens, cenas, locais, e o arco dramático da história. Na foto o artista Will Ferlack que desenhou os storyboards.

Atores & Atrizes

Para encontrar o ator certo para interpretar o personagem Gil Neves, fizemos um casting com 30 jovens, vindos de vários locais do país. Na imagem vemos Paulo Jorge Neves, vencedor do papel, com a atriz que desempenha o papel de sua mãe, Vivalda Prazeres.

Para os papéis explosivos de Dom Pedro e Elsa Figueira — "Elsa Figueira" — a escolha recaiu sobre os atores Regina Fereira e Valeri André Menezes, que tinham muita quimica juntos na na tela. Na imagem, os atores rodeados de fãs, na cidade de Angolares.

A Equipa

Eu e Alex Keller-Fonseca, os principais “culpados” pelo projeto Wê.

Wê é produzido por Kris Haamer, Katya Aragão e Ajala Carvalho. Uma equipa composta por 36 pessoas, as quais desempenharam as mais variadas funções.

Guarda Roupa ficou a cargo de Katya Silva, Roselyn Silva e Tiamo Veloso; com o apoio da Cintya Gracias; Maquilhagem por Mery Pinto. Escrito por Kris Haamer, Alex Keller-Fonseca, Percio Silva, Gilberto Ceita e Edneyse Coelho. O grupo dos escritores Wê deram comentarios para as historias: Sofia Santos, Akaisa Borges, Wilme Dias, Marlucy Bandeira. Location scouting por Catita Dias. Pesquisa por Dulcineia Barros e Ismael Sequeira. Storyboarding por Will Ferlack. Equipa de câmera Elzo Trovoada e Erikson Barroso. Material adicional filmado em Portugal por Paulo Garcia, Bruno Gonçalves e Pedro Resende. Análise e primeiro trailer por Claudia Silvestre. Casting organizado por Fátima Almeida. Secretária de produção Daena Neto.

Na imagem atores e parte da equipa do capítulo Wê: "Elsa Figueira".

Membros da equipa Wê Edneyse Coelho, Elzo Trovoada, Alex-Keller Fonseca, Percio Silva, e Roselyn Silva a falar sobre o significado do Wê e a importância das histórias narradas através das pinturas.

O Motivo

  1. Wê pode inspirar tal como o TEDx e atrair novos públicos para a pintura. Se o aplicativo for bem sucedido, os filmes e pinturas poderão ser exibidos conjuntamente em galerias.

  2. Wê dá uma oportunidade para as pessoas mostrarem a sua criatividade e trabalharem em conjunto para levar o seu talento ao mundo. Como jovem diretor de cinema, senti que partilhei os sonhos do jovem artista Alex-Keller Fonseca. Uma ideia criativa expressa-se de muitas formas diferentes, a inspiração é transferida de um meio para o outro e de uma pessoa para outra, de uma cultura para outra. E no mundo conectado de hoje pequenas equipas dedicadas podem usar o seu alegre otimismo para superar obstáculos e trazer os seus produtos para o mercado mundial.

  3. Estónia pode ser um bom parceiro aos países pequenos. Todos os dias experienciamos o que é ser um país pequeno. Se a Estónia tem algo a ensinar, tem de o fazer, tem de adoptar uma atitude positiva. Temos imensos fantasmas da história soviética, que nunca poderão ser esquecidos, mas mantemos o nosso olhar pragmático e otimista no futuro.

Atração De Audiência

A cultura santomense ainda não tem grande projecção a nível mundial.. No entanto, existe a diáspora de São Tomé espalhados pelo mundo que espera ansiosamente pelo lançamento do filme na televisão santomense. A distribuição digital através da App Store da Apple oferece a oportunidade de ver o filme nos telemóveis e tablets em vários países e em diferentes idiomas a fim de encontrar público que se identifique com o projeto e goste de pintura.

Aplicativo iPad

Um livro pop-up inspirado por Wê no Brasil.

A primeira versão do site do filme que, inicialmente, estava focado no capítulo “Censura Azul" sofreu uma actualização para três capítulos: "Eu E A Minha Amiga Fisga", "Amor Por Um Dia" e “Elsa Figueira”.

O Financiamento Do Wê

Estou feliz por ter conseguido investir pessoalmente 25 mil euros neste projecto, e por o projeto ter sido apoiado com 10.000 Euros por uma série de pessoas que estão atrás das anteriores histórias de sucesso da Estónia.

O nosso objetivo é apresentar o Wê para os espectadores em 2015. Para lançar os quatro capítulos precisamos angariar 50.000 Euros. Incluindo o financiamento anterior são 20.000€ por cada capítulo de 20 minutos ou seja, 1.000 euros por minuto.

O capital será utilizado para remunerar o trabalho da equipa e atores, o transporte, os voos, alojamento, alimentação e outras despesas imprevistas, tais como atrasos, doenças, pneus estragados, automóveis presos na lama, etc; aquisição de equipamentos de cinema, o desenvolvimento de aplicativos iOS e Android, edição de som e imagem, direitos de autor, e as taxas de criação de mídia original, música, compra o uso de direitos de materiais de arquivo, design de materiais de marketing, marketing em festivais e na Internet.

Se quiser ler o orçamento completo, faça-nos saber!

Espero que encontre Wê emocionante e decida ajudar a trazê-lo para os espectadores em toda parte. Somos gratos a todas as pessoas que já contribuíram: famílias que acreditaram em nós, mentores nos deram conselhos, parceiros financiadores que apoiaram o projeto, os artistas e atores que participam nas filmagens e para quem prometemos terminar o filme, os jovens escritores e equipe que nos ajudaram a escrever o roteiro, produzir e realizar a visão.

Chamada de Ação

Se acredita que o que esta descrito acima tem valor, então aqui fica um convite aberto para ajudar a levar este projeto para frente. Reunimos todas as informações que nós pensamos interessante e necessário, e estamos disponíveis 24/7 para responder a todas as perguntas possíveis. Ligue para +239 9851269 ou escreva kris@haam.co

Vamos lá!

Kris Haamer & a equipa do Wê

***

EestiEnglishPortuguês (Portugal)Português (Angola)Português (Brasil)在中國Bahasa MelayuDeutschFrançaisItalianoEspañolSuomiSvenskaNederlandsDanskNorskÍslenska